Reciclagem: Reciclar materiais poupa o meio ambiente de receber mais poluentes

recicle-982x1024Imagens: MulttiClique

Saiba, em detalhes, porque vale a pena reciclar alumínio, aço, pet e vidro e quanto já é reciclado no Brasil de cada material.

O lixo é um grande problema da sustentabilidade. Literalmente: todos os anos, cada brasileiro produz 385 kg de resíduos – dá 61 milhões de toneladas no total. O certo seria tentar diminuir ao máximo essa quantidade de lixo. Ou seja, em vez de ter objetos recicláveis, o ideal seria produzir sempre objetos reutilizáveis, o que diminui os resíduos.

Mas, enquanto isso não acontece, temos que nos contentar com a reciclagem. E é aí que vem um detalhe perigoso: reciclar o lixo também polui o ambiente e gasta energia. Reciclar vidro, por exemplo, é 15% mais caro do que produzi-lo a partir de matérias-primas virgens. Afinal, é feito basicamente de areia, soda e calcário, que são abundantes na natureza. Então, nenhuma empresa tem interesse em reciclá-lo. Já o alumínio é um supernegócio, porque economiza muita energia. Veja aqui quais são os materiais melhores para reciclar.

ALUMÍNIO

aluminioImagem: Ambiente Duran.

A reciclagem de alumínio é a mais favorável para o ambiente. A cada tonelada de metal reciclado, 13,6 toneladas de carbono deixam de ser eliminadas.

96% de economia de energia.
13,6 t de CO2 por 1 t de alumínio: é a economia de emissão de carbono.
97% – Quanto de latinhas de alumínio se recicla no Brasil.

AÇO

acoImagem: Ambiente Duran.

O aço é uma grande questão: sua produção libera 25% das emissões industriais de CO2 do mundo. E isso mesmo sendo o material mais reciclado em números absolutos!

67% de economia de energia.
3,7 t de CO2 por 1 t de aço: é a economia de emissão de carbono.
70% – Quanto de aço se recicla no Brasil.

PET

pet1Imagem: Ambiente Duran.

A matéria-prima do plástico, o petróleo, ainda é abundante e relativamente barata, o que torna alguns processos de reciclagem mais caros do que o plástico virgem.

76% de economia de energia.
1,7 t de CO2 por 1 t de PET: é a economia de emissão de carbono.
56% – Quanto de plástico PET se recicla no Brasil.

VIDRO

vidroImagem: Ambiente Duran.

O vidro reciclado custa mais do que o vidro de matéria-prima – ou seja, é mais difícil encontrar empresas interessadas em reciclá-lo. O melhor então é usar embalagens de vidro retornáveis.

21% de economia de energia.
0,3 t de CO2 por 1 t de vidro: é a economia de emissão de carbono.
47% – Quanto de vidro se recicla no Brasil.

O PLÁSTICO É UM PROBLEMA

A dificuldade de reciclar plástico é que há 7 categorias diferentes, cada uma com um polímero. Ou seja, misturou, perdeu. Veja os campeões de reciclagem.

pet1Imagem: Ambiente Duran.

54% pet – Garrafas de refrigerantes, de óleo e de vinagre.

pead2Imagem: Ambiente Duran.

12,7% PEAD – Engradados, garrafas de álcool e de produtos químicos.

pvc3Imagem: Ambiente Duran.

15,1% PVC – Tubos para água, calçados, cabos elétricos.

pebd4Imagem: Ambiente Duran.

13,2% PEBD – Embalagens de alimentos, sacos industriais e sacos de lixo.

Fontes Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vidro; Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre); Associação Brasileira de Alumínio; Associação Brasileira da Indústria do PET; Plastivida; US Environmental Protection Agency; Johnson, Reck, Wang, Graedel “The Energy Benefit of Stainless Steel Recycling”

Fonte: Maurício Horta
Superinteressante / Edição Verde – 12/2011

Posto original Planeta Sustentável.

Anúncios